Capa

Verão na Baixada Santista: roteiros para você curtir além das praias

O turismo é uma atividade que movimenta mais 1,5 trilhão de dólares ao ano no mundo e representa 10% do PIB global, de acordo com a Organização Mundial do Turismo. Somente em 2016, 1,2 bilhão de viajantes percorreram o globo. 

O Brasil, que é a 11ª economia do turismo no planeta, tem na atividade 3,2% de representatividade sob o PIB nacional, percentual que cresce a cada ano, com projeção de aumento de 0,5% em 2017, segundo a WTTC – World Travel & Tourism Council. No ano passado, quando sediamos os Jogos Olímpicos, o país recebeu 6,6 milhões de estrangeiros, que injetaram mais de R$ 21 bilhões na economia nacional.

OFERECIMENTO---EMBAIXADOR-C

Turismo na Baixada Santista

Na Baixada Santista os números também são animadores; no verão de 2017, quatro das nossas cidades ficaram entre as 20 mais procuradas pelos brasileiros. Praia Grande conquistou a quarta posição, ficando atrás das capitais São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis; Guarujá ficou com o 12º lugar; Peruíbe ocupou a 15ª e Santos a 17ª colocação.

Os mais de 160 quilômetros de litoral emoldurados pela mata atlântica são um dos grandes atributos da região, mas estão longe de ser as únicas belezas que ostentamos por aqui. Mesmo no verão.

Por isso, preparamos uma matéria especial com alguns dos principais atrativos turísticos da Baixada Santista que talvez você não conheça, mas que ajudam a fazer da região um destino turístico para todos os públicos.

Ah, mas esta viagem não acaba em nossas páginas. Nos QR Codes espalhados pela matéria você vai encontrar muitas outras opções que vão fazer você pensar duas vezes antes de se perguntar o que tem para fazer na região.  Bora lá?

Bertioga

A cidade mais novinha da Baixada Santista abriga a mais antiga fortificação do país e o maior projeto de desenvolvimento urbano do litoral brasileiro.

Forte São João

A localização privilegiada, à beira do Canal de Bertioga, a linda arquitetura e sua rica história são motivos suficientes para visitar o Forte São João. Foi a primeira fortificação construída no Brasil, em 1532, pelos portugueses, batizada inicialmente de Forte São Tiago.

Sofreu muitas intervenções, foi tombado pelo Iphan – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e hoje abriga um acervo variado, onde pode ser vista a carta de batismo do Padre José de Anchieta e os votos solenes de Anchieta e Manoel da Nóbrega.

Bertioga - Forte São João

Para visitar

Av. Vicente de Carvalho, s/n – Parque dos Tupiniquins. Todos os dias, das 9h às 17h. Entrada gratuita.

Riviera de São Lourenço

Um bairro (não um condomínio), considerado o maior projeto de desenvolvimento urbano do litoral brasileiro, sob gestão da Sobloco Construtora, com foco na sustentabilidade e na qualidade de vida dos moradores. Possui um moderno sistema de tratamento de água e esgoto e um dos programas de coleta de lixo mais bem-sucedidos do país.

Além da praia, a Riviera dispõe do maior shopping do Litoral Norte, bons restaurantes, centro cultural, hotéis e muito mais. No verão, grandes eventos atraem milhares de pessoas para o bairro.

Bertioga - Riviera de São Lourenço

Para visitar

Rodovia Rio-Santos (BR-101), na altura do Km 212, em Bertioga.

Guarujá

A eterna Pérola do Atlântico é também conhecida por Ilha do Dragão, devido ao seu formato. Em seu contorno, além de belas praias, muita história e áreas verdes.

Fortaleza da Barra Grande

Construída em 1584 para defender o Porto de Santos, é um raro exemplar histórico da arquitetura militar do Império Luso-Espanhol, reconhecida em 1964 como Patrimônio Histórico Nacional pelo IPHAN.

É, hoje, o Museu Histórico da cidade e, além da privilegiada vista e da sua imponência (pode ser avistada da orla da praia de Santos), abriga um acervo variado, o que inclui, em sua capela, o mosaico Vento Vermelho, do artista Manabu Mabe.

Guarujá - Fortaleza da Barra Grande
Foto: Christian Jauch

Para visitar

Av. Messias Borges, 380 – Santa Cruz dos Navegantes. O acesso pode ser feito de barquinha, que sai da Ponte Edgard Perdigão, em Santos. De terça a domingo, das 9h às 17h. Entrada gratuita.

Parque do Conde

Em meio à belíssima Serra do Guararu, a 27 quilômetros do centro da cidade, próximo à Balsa de Bertioga, o parque oferece trilhas interpretativas, arvorismo, tirolesa, parede de escalada, em roteiros que incluem café da manhã junto à mata.

Além da exuberância do verde que coroa este lugar, com diversas espécies de flora, as trilhas passam por um sítio arqueológico do século XVI e, com sorte, pode-se avistar bichos-preguiça, capivaras, esquilos, saruês, gatos do mato, tatus, lagartos, veados e até onças pardas.

Guarujá - Parque do Conde
Foto: Christian Jauch

Para visitar

Estrada Guarujá/Bertioga, Km 14,5. Agendamento pelos telefones (13) 98815.6471 e 99114.3225.

Cubatão 

Símbolo de recuperação ambiental, Cubatão é destino para o birdwatching (observação de aves) e busca se consolidar com o turismo industrial.

Itutinga-Pilões

Uma área dentro da Reserva Estadual da Serra do Mar, este paraíso ecológico abriga os rios Passareúva, Pilões e Cubatão, responsáveis pelo abastecimento hídrico de 80% da Baixada Santista e também dos mananciais da represa Billings.

O núcleo é um dos redutos de birdwatching da cidade, onde podem ser avistadas mais de 70 espécies de aves no percurso por suas trilhas. O Itutinga-Pilões também ostenta um acervo histórico riquíssimo, o que inclui as ruínas do primeiro hospital da Vila de Itutinga, construído na década de 1920.

Cubatão - Itutinga-Pilões

Para visitar

Estrada Elias Zarzur, km 8 – Água Fria. O agendamento, tanto para as trilhas quanto para o birdwatching, precisa ser feito com sete dias de antecedência pelo email pesm.itutingapiloes@fflorestal.sp.gov.br ou pelo telefone (13) 3361.8250.

Fábrica Aberta – Turismo Industrial

Pioneiro no mundo, o programa de visitação da Unipar-Carbocloro abre as portas da fábrica, uma das mais modernas plantas de cloro-soda do mundo, todos os dias do ano.

A indústria mantém uma RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural), com 650 mil m² de área verde, que abriga animais silvestres, um aquário de peixes ornamentais e lagos com carpas.

Os visitantes podem conhecer todo o processo produtivo de forma segura – com equipamentos de proteção individual, em um roteiro que dura cerca de três horas.

Cubatão - Fábrica Aberta
Foto: Odjair Baena

Para visitar

Rodovia Cônego Domênico Rangoni (SP-055), km 267,7. O agendamento deve ser feito pelo endereço http://www.fabricaaberta.com.br/contato/.

Santos

A cidade que ostenta o maior jardim de orla do mundo tem muito mais a oferecer em seu rico centro histórico e nos mais de 30 equipamentos espalhados por toda a extensão.

Museu de Arte Sacra de Santos

Ao pé do Morro do São Bento, o MASS tem história desde 1644, quando começou a ser construído para abrigar o Mosteiro de São Bento. Em 1725 passou por uma restauração e ganhou a arquitetura que mantém até hoje.

O mosteiro serviu de residência aos monges beneditinos, abrigou vítimas das epidemias que assolaram Santos em 1874 e foi um internato para jovens refugiados russos.

O museu abriga cerca de 600 peças sacras e religiosas, datadas do século XVI ao XXI, entre esculturas, pinturas, objetos litúrgicos e indumentárias.

Santos - Museu de Arte Sacra
Foto: Christian Jauch

Para visitar

R. Santa Joana D’arc, 795 – Morro do São Bento. Terça a domingo, das 10h às 17h. A entrada custa R$ 5,00 e a monitoria para grupos deve ser agendada pelo telefone (13) 3219.1111.

Monte Serrat

A aventura no Monte Serrat começa com a subida de bondinho, puxado por cabo de aço, em sistema funicular, com dois vagões em movimento sincronizado, que levam 45 passageiros cada, em um percurso sobre trilhos, que chega a 150 m de altura.

No mirante do cassino, deslumbra-se de uma vista privilegiada de Santos, de onde se pode ver o porto, o centro e a área continental. Lá em cima também está o Santuário de Nossa Senhora do Monte Serrat, padroeira da cidade, e a igreja, de 1603. Quem preferir, pode encarar os 416 degraus de escadaria para chegar ao topo do morro.

Santos - Monte Serrat

Para visitar

Praça Correia de Mello, 33 – Centro. Todos os dias, das 8h às 20h, com saídas a cada 30 minutos. Ingressos: R$ 40 (idosos pagam meia e crianças até 8 anos não pagam).


Durante o seu passeio por Santos, aproveite para uma pausa no tradicional Casa Velha e experimente as deliciosas opções da máquina de assados aos sábados e domingos, além da diversidade gastronômica do restaurante mais cultural do Gonzaga. 

Boulevard Othon Feliciano, 10 – Gonzaga. 
(13) 3284.1425
@casavelha.arte.comida.petisco


OFERECIMENTO---EMBAIXADOR-C

São Vicente

A primeira cidade do Brasil exibe uma das baías mais bonitas da região e oferece mirantes de onde se pode apreciar suas belezas, além de muita história.

Morro da Asa Delta

Próximo à divisa com Santos, o Morro do Voturuá é conhecido como Morro da Asa Delta, pois nele funciona a pista de salto de paraglider e asa-delta, a 180 m de altura, na Praia do Itararé.

A subida ao morro pode ser feita de carro ou de teleférico, que parte da base ao lado da pista de pouso na praia. O percurso de teleférico dura 11 minutos e garante uma aventura com um trecho sobre a avenida da praia e outro em meio à mata.

Ao lado da pista de salto, no alto do morro, existe um restaurante, que garante uma vista deslumbrante da nossa orla.

São Vicente - Morro da Asa Delta
Foto: Odjair Baena

Para visitar

A subida de carro se dá pela R. Princesa Isabel, que parte da Av. Ayrton Senna da Silva (Praia). Dali, basta seguir as placas. O teleférico funciona todos os dias, das 10h às 18h.

Casa da Cultura Afro-Brasileira

Localizado dentro do Parque Ecológico Voturuá, o museu conta a história da escravidão no Brasil, por meio de obras em argila do escultor Geraldo Albertini. São 132 peças do artista, dispostas em uma construção que simula uma senzala e se apropria das paredes – como faziam os escravos – para também retratar a rotina nos quilombos.

O museu também tem peças de outro artista, discípulo de Albertini, entalhadas em madeira, e é um espaço destinado à cultura afrodescendente.

São Vicente - Casa da Cultura Afro-Brasileira
Foto: Odjair Baena

Para visitar

R. Dona Anita Costa, s/n – Vila Voturuá.De terça a domingo, das 10h às 17h.Entrada: R$ 2,00 (ingresso para o Parque Ecológico Voturuá)

Praia Grande

Além de ser a cidade com a maior extensão de ciclovias da região, com boa parte margeando a orla, Praia Grande passa por um processo de valorização que a deixa ainda mais atraente.

Portinho

Bem ao lado da entrada da cidade e às margens do Mar Pequeno, a Área de Lazer Ézio Dall´Acqua, o Portinho, é aberto ao público, dispõe de quiosques com churrasqueiras, quadras poliesportivas, pista de motocross, aluguel de barcos, herbário, playground, além de um restaurante, um píer de pesca e estacionamento gratuito.

Em meio à mata atlântica e cercado pelo manguezal, é um lugar propício para os amantes da natureza. A agência local Caiçara Expedições opera um roteiro de Canoagem Ecológica com duração de duas horas, em meio ao manguezal para contemplação deste ecossistema, com flora e fauna riquíssimas.

Praia Grande - Portinho
Foto: Christian Jauch

Para visitar

R. Paulo Sérgio Garcia – Sitio do Campo, junto à entrada da Praia Grande. Entrada gratuita.

Palácio das Artes

O complexo cultural de seis mil metros quadrados exibe uma fachada imponente com ares neoclássicos em contraste com seu interior moderno e amplo, que abriga o Museu da Cidade, a Galeria Nilton Zanotti, o Salão de Eventos e o Teatro Serafim Gonzalez, com um foyer que oferece uma vista inusitada da Mata Atlântica.

O destaque está no gigante lustre com 12 mil pedras de cristal e 120 lâmpadas, que pesa cerca de 350 quilos e faz alusão ao clássico o Fantasma da Ópera. Um enorme terraço no andar superior abriga esculturas e proporciona uma visão panorâmica da cidade.

Praia Grande - Palácio das Artes
Foto: Odjair Baena

Para visitar

Av. Presidente Costa e Silva, 1600 – Boqueirão. O telefone para informações é (13) 3496.5713.

Mongaguá

Com ares de cidade do interior, o menor município da região esbanja charme em sua orla e muitas opções aos mais diversos públicos.

Plataforma de Pesca

Uma das maiores plataformas pesqueiras em concreto armado do mundo, que avança 400 metros mar adentro e forma um ’T’, com mais 86 de metros de extensão para cada lado.

A Plataforma de Pesca de Mongaguá oferece infraestrutura para pescadores amadores e, profissionais, com sanitários e local apropriado para lavagem dos pescados e utensílios de pesca. É toda iluminada com lâmpadas de vapor de sódio, o que permite a boa visibilidade à noite, inclusive com nevoeiro.

Mongaguá - Plataforma de Pesca
Foto: Divulgação

Para visitar

A Plataforma fica aberta 24 horas todos os dias da semana. O acesso é controlado e a entrada custa R$ 5,00, mas moradores da cidade credenciados no Departamento de Turismo não pagam. Crianças de 3 a 10 anos pagam R$ 3,00 e idosos, acima de 60 anos, pagam R$ 2,50.

Parque Ecológico A Tribuna

São 15 mil m² destinados à educação ambiental, com acervo que aborda temas como o tráfico de animais silvestres, lixo, reciclagem, conservação da biodiversidade e de áreas verdes. Coleções de conchas, sementes, pedras, areias de todas as praias do litoral de São Paulo e animais conservados em formol também integram o complexo.

O parque possui recinto para jabutis, um serpentário, viveiro interativo de aves, recinto de quati, jacaré, tucanos, falcão, corujas, araras, além de 15 aquários tropicais e marinhos com peixes de diversas partes do globo.

Mongaguá - Parque Ecologico a Tribuna

Para visitar

Av. Governador Mario Covas Junior, 10410 – Plataforma. De terça a domingo, das 8h às 16h. Os ingressos custam R$3,00; crianças menores de 7 anos e adultos maiores de 60 anos não pagam.

Itanhaém

Considerada a Amazônia Paulista, devido à extensão de sua bacia hidrográfica, Itanhaém é a segunda cidade mais antiga do Brasil e mescla natureza e história como poucas no Brasil.

Passeio de Barco pelos rios

São mais de 2 mil km de rios, sendo 180 km navegáveis. Neste percurso, um fenômeno similar ao que ocorre com os rios amazônicos Negro e Solimões, proporciona um encontro entre os rios Preto e Branco, formando o rio Itanhaém.

Esta maravilha da natureza pode ser presenciada em um passeio de barco, com a contemplação de fauna e flora típicas de manguezal. O roteiro leva cerca de duas horas e meia, em um percurso de 4,5 km, com uma parada no Country Club, onde se pode alugar pedalinhos e caiaques, além de saborear porções e outras especialidades da casa, em clima rural.

Itanhaém - Barco Manguezal
Foto: Odjair Baena

Para visitar

O passeio parte do píer localizado na alameda Emídio de Souza, na Praia dos Sonhos, próximo ao Itanhaém Iate Clube. Fora da temporada, apenas aos finais de semana e na temporada todos os dias.

Passarela de Anchieta

Uma estrutura de 220 metros de comprimento por 1,60 de largura forma uma passarela, construída com ipê e materiais derivados do eucalipto ecológico na Praia dos Sonhos.

O caminho leva os visitantes até a famosa Cama de Anchieta, uma formação rochosa que, segundo a lenda, por seu aspecto de cama, encravada entre o costão da Praia dos Sonhos e o mar, tornou-se o local preferido do Padre José de Anchieta, para encontrar descanso e inspiração para compor versos e poemas. Um passeio contemplativo, junto ao mar, e cheio de história.

Itanhaem - Passarela de Anchieta
Foto: Josy Inacio

Para visitar

Praia dos Sonhos. Todos os dias. Entrada gratuita.

Peruíbe

Além de ser o portal da Jureia, Peruíbe é conhecida internacionalmente pelo turismo ufológico e por sua famosa lama negra, com propriedades curativas.

Roteiros de aventura na Jureia

Encravado no meio do Mosaico de Unidades de Conservação da Jureia, o Guaraú reserva lindas praias, rios, cachoeiras, trilhas e muita aventura.

Distante 5 km do centro da cidade, neste paraíso é possível praticar ecocanoagem, trilhas em meio à mata e praias desertas, water treeking, cascade, passeios em quadriciclo, trekking e birdwatching, é claro.

Como as atividades são realizadas em áreas de reservas ecológicas, há grande preocupação com a conscientização e a educação ambiental nos roteiros, que são acompanhados por monitores e guias treinados.

Peruibe - Cachoeira da Jureia
Foto: Christian Jauch

Para visitar

Informações e agendamentos: (13) 3457.9243 (administração do Mosaico). A Agência Na Trilha da Jureia realiza os roteiros de ecoturismo e aventura na Jureia.

Aldeia Tabaçu Reko Ypy

A aldeia recebe grupos de visitantes para conhecer o verdadeiro modo de vida indígena, com suas tradições, danças, ritos e vivências. Esta experiência também é importante para os indígenas, que têm sua autoestima elevada e conseguem manter a sua essência.

A tribo realiza muitos rituais indígenas, como o boraý, o ‘canto sagrado’, momento de adoração ao divino, que acontece todas as noites; as danças; a atribuição de nomes às crianças e a fogueira da cura. Tudo isso pode ser vivenciado pelos visitantes, o que inclui banho no lago e muito mais.

Peruíbe - Aldeia
Foto: Odjair Baena

Para visitar

Para quem deseja passar um dia diferente na aldeia:

www.vivaokatur.blogspot.com.br | vivaokatur@gmail.com | www.facebook.com/aldeia.t.rekoypy

Post anterior

Programação de verão em Santos

Próximo post

Rio Santos Bossa Fest celebra os 60 anos da Bossa Nova

O Autor

Bruna Domato

Bruna Domato

Estudante de Publicidade e Propaganda

Sem Comentários

Deixa uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *