Exclusivo Portal

Carnabonde 2018 homenageia bairro Chinês

Para aqueles que esperam o ano inteiro por esse dia, já podem comemorar: amanhã (10/02) tem Carnabonde! Saindo da Praça Mauá, os foliões vão atrás do bonde escocês prefixo 32 (aberto) às 11h. A decoração desse ano vai homenagear Turistas no Bairro Chinês, tema desta edição. A festa terá duração de quatro horas.

Este ano não haverá venda de camisetas, então pode liberar a criatividade na hora de escolher ou confeccionar sua fantasia em grupo, como tradicionalmente acontece. Um grupo garantido é o de 35 voluntárias do Fundo Social de Solidariedade de Santos (FSSS), que estarão fantasiadas de espanhola – não estranhe, em 1956, o bairro Chinês recebeu turistas espanhóis e a visita foi devidamente registrada, servindo de inspiração.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DAS BANDAS DE SÃO VICENTE! CLIQUE AQUI.

SOBRE A HOMENAGEM

O carnaval santista nasceu no bairro Chinês com dois grandes blocos: o Baby dos Jardins da Infância e o Turistas do Bairro Chinês. Eles promoviam brincadeiras e batalhas de confete nas ruas do Centro e, à noite, seguiam com a festa em outros pontos da cidade, até chegar à praia. O que torna a homenagem totalmente válida.

O artista plástico André Leahun é responsável pela ornamentação do bonde desde 2006. Em 2018, ele trará itens característicos das comemorações do ano novo chinês para a decoração. Figuras de dragões, cestos de ouro, orquídeas gigantes e outras surpresas montarão essa festa.

“O bairro Chinês tinha muitas chácaras, propriedade de orientais. Embora a maioria fosse de origem japonesa, na cultura popular quem tem olho puxado é chinês”, contou ele. Ele brinca que até hoje essa comparação prevalece.

O bonde começará a ser ornamentado nesta sexta (09/02), a partir das 14h. O trabalho envolverá cinco pessoas, as mesmas que durante 15 dias vêm trabalhando na confecção das peças decorativas.

O BAIRRO CHINÊS

O bairro Chinês foi incorporado ao Valongo durante os anos 1970, e oficializado em 2011 com a atualização das leis de Uso e Ocupação do Solo. Nessa época também foi criado o bairro Ilhéu Alto (na área insular) e Piaçaguera e Bagres, bairros da área continental.

O bairro Chinês está localizado do sopé dos morros São Bento, Pacheco e Penha até a Avenida Getúlio Vargas, entre a Rua São Bento e o Saboó. Além de japoneses, o bairro também abrigou imigrantes espanhóis e portugueses. Nordestinos que chegavam para trabalhar no porto também eram acolhidos por lá. Aos poucos, o comércio ganhou fôlego e foram construídos açougues, padarias, farmácias, quitandas e vendas de secos e molhados.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o bairro passou por um processo de desvalorização. As famílias ricas deixaram o local e construíram suas casas no Macuco, Campo Grande e Marapé. Quando a Cidade sofreu intervenção do regime militar, o bairro foi incorporado ao Valongo.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA COM OS AMIGOS

Post anterior

Inscrições abertas para as oficinas do Instituto Arte no Dique

Próximo post

Bloco Ba-bahianas desfila nesse domingo no Gonzaguinha

O Autor

Bruna Domato

Bruna Domato

Estudante de Publicidade e Propaganda

Sem Comentários

Deixa uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *